ATENÇÃO: O texto abaixo contém spoilers do primeiro episódio da oitava temporada de “Game of Thrones”. Não leia se não quiser saber o que acontece.

Após uma longa espera, “Game of Thrones” retornou na noite deste domingo em meio a grandes expectativas e não decepcionou.

A série épica da HBO voltou com um episódio cheio de encontros e reencontros decisivos que trouxeram o que ela sempre fez de melhor: intrigas palacianas e revelações impactantes. Isso sem esquecer da grande ameaça representada pelos White Walkers, que não apareceram em cena, mas tiveram sua presença sentida.

Sem enrolação, a estreia começou logo com a chegada de Jon Snow (Kit Harington) e Daenerys (Emilia Clarke) a Winterfell, precipitando uma série de eventos que provaram que a política nos Sete Reinos é sempre complicada, mesmo que haja um exército de mortos-vivos batendo à porta.

Duas governantes em conflito:

Sansa (Sophie Turner), que ficou no comando do reino enquanto Jon ia buscar o apoio de Daenerys, logo se mostrou desconfortável com a chegada da nova rainha. E com certa razão, afinal os aliados nortenhos incluindo a pequena Lady Lyanna ficaram descontentes com a decisão de Jon em abdicar do título de Rei do Norte e se aliar à Mãe dos Dragões. E, como ela expôs em um discurso, a chegada de Daenerys trouxe um problema mais prático: como, afinal, alimentar todos os soldados recém-chegados e dois dragões?

A resistência não passou despercebida por Daenerys. “Se ela não puder me respeitar…”, disse a Jon. Mais tarde, ele ainda ouviria um sermão de Sansa. “Você se ajoelhou a ela para salvar o Norte ou por amor?”, questionou. A tensão entre as duas, ao que tudo indica, só deve crescer nos próximos capítulos.

Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!
Compartilhe com seus amigos nas redes sociais!